Rádio Observatório Pierre Kaufmann é reinaugurado em Atibaia

Local voltará a ser um dos principais laboratórios em rádio astronomia do Brasil

12.12.201916h11 Comunicação - Marketing Mackenzie

Compartilhe nas Redes Sociais

O Rádio Observatório Pierre Kaufmann (ROPK) - antes conhecido como Rádio Observatório de Itapetinga - foi reinaugurado nesta terça-feira, 10 de dezembro, em Atibaia, região metropolitana de São Paulo. O local que pertence a Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM) é operado com a participação do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Fundado em 1970, o observatório ficou desativado desde 2014, após o INPE não conseguir manter equipes de pesquisas e técnicas. Em 2017, a UPM decidiu reativar o local e homenagear o antigo coordenador do Centro de Rádio Astronomia e Astrofísica do Mackenzie (CRAAM), professor Pierre Kaufmann, que fundou o observatório. 

 "Além de realizar pesquisas científicas, a ideia é utilizar a área como um importante laboratório para formação de recursos humanos de graduação e pós-gradução", disse o atual coordenador do CRAAM, professor Jean Pierre Raulin, indicando que haverá uma parceria com a Escola de Engenharia (EE) da UPM para utilização dos laboratórios.

O ROPK é utilizado para observações da atividade solar e a relação entre a estrela e o planeta Terra, utilizando ondas de rádio. Ocorrerão também pesquisas de rádio astronomia galáctica e extra-galáctica , com a busca por quasares, que são estrelas que emitem intensos sinais de rádio.

Para voltar a funcionar, foi necessário recuperar os equipamentos e escolher uma nova equipe. Testes e validação foram realizados durante, aproximadamente, 1 ano e meio, liderados pelo engenheiro António de Magalhães, recém doutor pelo programa de pós-graduação Ciências e Aplicações Geoespaciais (CAGE), da UPM . A Universidade Mackenzie contratou a equipe técnica composto de um engenheiro-chefe para o ROPK, Guilherme Alaia, e dois técnicos, Rubens Hadano e Everton Gotz, que irão trabalhar em estreita colaboração com o Engenheiro do INPE, Cesar Strauss. 

O convenio foi celebrado em meados de novembro de 2019.

O diretor do INPE, Darcton Policarpo Damião, comemorou a reabertura e a parceria com a UPM. "É mais uma parceria histórica que temos. Ciência evolui em rede e a rede com o Mackenzie é importantíssima", declarou. Além disso, ele também explicou que o INPE pretende utilizar o laboratório para desenvolver pesquisas relacionadas ao clima espacial e ao estudo da falha magnética que atravessa a atmosfera brasileira.

O antigo diretor do INPE, Ricardo Galvão, também esteve presente no reinauguração.

Homenagem

Vários parentes do professor Pierre Kaufmann estiveram presentes na reabertura. A filha caçula dele, Mariana Levi de Kaufmann, está feliz com a homenagem ao pai. "É muito bacana, a gente fica com muito orgulho, tanto pelo meu pai quanto pela ciência", comentou. Ela guarda memórias do ROPK na infância, inclusive de ter acompanhado um eclipse solar, junto do pai. Tambem estavam presentes o Pedro e a Karen. 

Todas as autoridades presentes elogiaram a escolha do novo nome e aprovaram a homenagem a Pierre Kaufmann.

 Parceria

O reitor da UPM, Benedito Guimarães Aguiar Neto, celebrou a reabertura e lembrou que o Mackenzie sempre esteve na vanguarda das pesquisas com radiofrequência. "É muito orgulho, pois na época em que foi fundado, éramos pioneiros em pesquisa de rádio. Agora, somos referência e não há no Brasil laboratório como esse", declarou.

Já o diretor de Desenvolvimento Humano e Infraestrutura (Desin) do Instituto Presbiteriano Mackenzie (IPM), José Hintze, ressaltou a importância da parceria com o INPE. "Dessa forma, nossos pesquisadores podem ter lugares apropriados para fazer suas pesquisas e desenvolver suas teses, além de haver um aproveitamento de conhecimento, que será utilizado em sala de aula", disse.

O vice-prefeito de Atibaia, Emil Ono, demonstrou a importância do ROPK para a cidade da região metropolitana de São Paulo. "Atibaia tem muita sorte em ter esse observatório. É motivo de orgulho participar dessa reinauguração", declarou. Ele ainda prometeu lutar para que a prefeitura preservasse a lei que institui a área de silêncio elétrico no entorno do observatório. Pela lei, fica proibido a construção de casas e edifícios em um raio de dois quilômetros, como forma de evitar a interferência na coleta de dados do ROPK.

Além das autoridades mencionadas, o vice-reitor da UPM, Marco Tullio de Castro Vasconcelos; Chanceler Marcel Mendes; e o coordenador da E.E, Sérgio Lex, estiveram na reabertura do rádio observatório.