Cultura

Mackenzie celebra Dia da Engenharia

Conheça curiosidades e história da primeira não pública Escola de Engenharia do Brasil

08.04.201911h39 Comunicação - Marketing Mackenzie

Compartilhe nas Redes Sociais

Você sem dúvida já ouviu falar na Engenharia e nas suas áreas distintas. Atualmente, são muitas ramificações, temos as engenharias: Civil, de Materiais, de Produção, Elétrica, Mecânica e muitas outras. No Brasil, comemoramos o Dia da Engenharia em 10 de abril em homenagem ao Tenente Coronel João Carlos de Villagran Cabrita, que era Comandante do 1º Batalhão de Engenharia na Guerra da Tríplice Aliança da qual o Brasil participou. Para o Mackenzie, é um dia mais que especial, pois celebra a profissão atrelada ao início do ‘Mackenzie College’.

Primeiro curso de graduação criado dentro do que anos depois seria a Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM), na época os diplomas de bacharéis em Engenharia eram outorgados pela Universidade do Estado Nova York, nos EUA. O curso também está associado à construção do prédio 01 do campus Higienópolis, que já abrigou diversas áreas do Mackenzie.

Para conhecer esta e outras curiosidades e celebrar o Dia da Engenharia, conversamos com Anderson Gomes e Louise Diório, ambos do Centro Histórico e Cultural Mackenzie (CHCM) da UPM, que nos contaram curiosidades ótimas da Engenharia Mackenzie que você acompanha a seguir, fazendo parte de mais um dos tantos capítulos da história mackenzista.

Quando teve início o curso de Engenharia no Mackenzie?

Foi em 1896 que a Escola de Engenharia (EE) iniciou suas atividades e em 1900 a primeira turma se formou com diplomas como bacharéis de Ciência de Engenharia Civil, outorgados pela University of the State New York (Universidade do Estado de Nova York), e que permitia aos profissionais serem admitidos em qualquer estabelecimento de ensino do estado de Nova York e na maior parte dos outros estados dos EUA. Dentre os alunos, estavam Alexandre Maurício Orechhia e Alexandre Mariano Cococi que, curiosamente, após o término do curso, tornaram-se professores da casa.

O vínculo entre as Instituições de ensino durou até 30 de junho de 1927, e o CHCM faz a guarda do diploma de n° 01 que foi outorgado pela Universidade do Estado de Nova York no dia 28 de agosto de 1900, sendo o aluno Alexandre Mariano Cococi quem o recebeu após defender a sua tese “Carta Geográfica do Estado de São Paulo”, em julho de 1900.

(Diploma de Alexandre Mariano. Acervo CHCM)

Primeiro reitor da UPM era da Escola de Engenharia

Foi por meio do decreto presidencial de n° 30.511 do dia 07 de fevereiro de 1952, do então presidente Getúlio Vargas, que a UPM foi reconhecida oficialmente como Universidade. Agora, com a necessidade de alguém que assumisse o posto de reitor, o escolhido para o cargo foi o professor catedrático e também diretor da Escola de Engenharia (EE), Henrique Pegado, formado pela EE em 1913.

Pegado ficou no cargo até 1957, quando se aposentou da vida acadêmica, tendo dedicado seus esforços ao desenvolvimento da EE, assim como ao Mackenzie. Em homenagem às suas contribuições, o prédio de número 05 do campus Higienópolis carrega seu nome.

Na época, como eram feitas as aulas práticas de Engenharia?

Pela exigência de aulas práticas para a formação completa no curso de Engenharia, se fez necessária a criação de um espaço onde os alunos pudessem usar os equipamentos de medição e cálculo comuns da profissão. Neste contexto, o ‘Mackenzie College’ criou três espaços que eram denominados “Acampamento”, nos quais os alunos de Engenharia Civil eram enviados para realização das aulas práticas.

Os acampamentos eram localizados na Estrada de Ferro Sorocabana, na altura de Jandira; na estrada de Umuarama, em Campos de Jordão; e, por fim, de Cabuçu, próximo à Serra da Cantareira. Durante o período de Acampamento, os alunos ficavam em casas construídas nestes locais e as atividades desenvolvidas eram: topografia, geodésia, astronomia e medição de rios.

(Acampamento de Jandira, 1915. Acervo CHCM)

Curiosidades do primeiro prédio do 'Mackenzie College'

O prédio número 01 do campus Higienópolis, conhecido como Edifício Mackenzie, foi construído para sediar a primeira Escola de Engenharia não pública do Brasil. Com o desenvolvimento do campus, o local passou a abrigar a Reitoria, Chancelaria, Presidência e Diretorias do Instituto Presbiteriano Mackenzie (IPM) e, atualmente, o local é sede do Centro Histórico e Cultural Mackenzie.

O edifício tombado passou por diversas modificações e restaurações, ao abrigar todos esses tipos de funcionalidade, até chegar ao que conhecemos atualmente. A entrada principal, logo do início de sua construção, era virada para a Rua Maria Antônia.

A Pedra fundamental, ou pedra angular, era muito comum em construções antigas, marcada por ser a primeira assentada na esquina de um edifício, formando o ângulo reto entre duas paredes. A partir dela que era decidido a posição de todas as outras. A pedra do Edifício Mackenzie foi assentada durante sua construção original, entre 1894 e 1896.

Próximo ao prédio 01, há o monumento construído em homenagem aos três mackenzistas mortos durante a Revolução Constitucionalista de 1932. Cada pilar representa, respectivamente, José de Andrade Jr., Lauro de Barros Penteado e Reynaldo Cajado de Oliveira.

(Monumento. Acervo CHCM)

Conheça um pouco dos equipamentos utilizados nos primórdios do ensino da Engenharia no Mackenzie

Teodolito: responsável pela mensuração dos ângulos verticais e horizontais de um terreno. No início do século XX no Brasil não havia fabricação desse tipo de instrumento, sendo que todos eram importados pela EE de outros países como Itália, EUA e Japão.

(Acervo CHCM)

Nível: serve para calcular os desníveis do solo. Assim como os teodolitos, no início do século XX no Brasil não havia fabricação desse tipo de instrumento. Estes eram importados de países como Itália e Alemanha.

(Acervo CHCM)

Amperímetro, wattímetro e voltímetro: são instrumentos para o estudo da eletricidade e passaram a ser comprados pelo ‘Mackenzie College’ à medida que o curso de Engenharia foi se aprofundando e com o início, em meados da década de 1910, da Engenharia de Eletricidade no Mackenzie.

(Amperímetro. Acervo CHCM)

(Wattímetro. Acervo CHCM)

(Voltímetro. Acervo CHCM)