Cultura

Exposição apresenta obras literárias escritas por crianças da Educação Infantil

LerMack 2021, do Colégio Presbiteriano Mackenzie Brasília , celebra importância da literatura no processo educacional

28.04.202117h23 Comunicação - Marketing Mackenzie

Compartilhe nas Redes Sociais

Exposição apresenta obras literárias escritas por crianças da Educação Infantil

Mais de 300 obras literárias produzidas pelos alunos da Educação Infantil Colégio Presbiteriano Mackenzie Brasília (CPMB) estão expostas ao longo de toda a semana na edição 2021 do projeto Leitor Mackenzista, o LerMack. Os livros ficarão à mostra no saguão do segmento, em horário comercial, até a próxima sexta-feira, dia 30 de abril, para a visitação gratuita e exclusiva dos estudantes. Para a comunidade escolar será preparada uma visita virtual em vídeo.

Neste ano, os pequenos autores elaboraram releituras escritas de histórias que leram e ouviram ao longo do primeiro trimestre letivo, após uma imersão bibliográfica lúdica, pedagógica e divertida. Ao longo dos três últimos meses, as crianças viajaram pelos trabalhos e biografias dos autores Frédéric Sthehr, Álvaro Modernell, Peter Carnavas e João Rodrigues, responsáveis, respectivamente, pelos títulos Zim Tam Tum, Somos Diferentes, Mas Somos Iguais, A Caixa de Jéssica e Quer conhecer o universo?.

Na sequência, acompanhados dos professores, os estudantes trabalharam na reconstrução das narrativas, símbolos, ideias, conceitos e trajetórias dos personagens a partir da própria perspectiva. “A confecção do livro é a culminância das atividades que envolvem o Leitor Mackenzista”, explicou a Orientadora Pedagógica da Educação Infantil Laura Magalhães.

Os produtos estão expostos nas áreas abertas do edifício da Educação Infantil, atualmente decoradas com momentos marcantes das histórias originais. O passeio pelos ambientes são verdadeiros mergulhos nas páginas dos livros. Os alunos escritores têm a chance de interagir diretamente com o universo que só existia no imaginário e nas figuras impressas em cada obra - trata-se de uma nova dinâmica de contato com todos os componentes das histórias. Agora, eles podem perceber os eventos relatados nos livros também por meio do toque e por outros elementos visuais não disponíveis objetivamente nas páginas lidas.  

“O LerMack como um todo é um trabalho que aproxima ainda mais os estudantes da leitura. Fazemos uma imersão nas histórias e eles ficam marcados pelos personagens e suas trajetórias. É um dos momentos em que começam a refletir sobre as narrativas, sobre as imagens e sobre os mundos apresentados nos livros e descrevem estes universos a partir da própria percepção. Isso desenvolve a capacidade cognitiva das crianças, provoca o gosto pelo ato de ler e incentiva outros interesses, além das telas multicoloridas. Sem falar, claro, da importância dos livros para contar a essas crianças sobre questões culturais, relações interpessoais e até sobre os primeiros conflitos da vida. Estamos na extensão da sala de aula em um aprender guiado também pela curiosidade”, disse a coordenadora da Educação Infantil, Karla Cristina de Souza Pereira.

Literatura

Instrumento fundamental do processo educacional, os livros ganharam ainda mais protagonismo durante o período de pandemia. Em paralelo à internet, as páginas das novas e antigas obras literárias oportunizaram a crianças e adolescentes, o aprofundamento em histórias consagradas - essenciais na formação de cidadãos por gerações. Essa realidade é respaldada por estudo conduzido pela empresa mundial em pesquisa de Marketing Nielsen e pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) neste ano. Os números apontam crescimento de quase 40% no consumo de livros no Brasil, entre março de 2020 e março de 202

Neste ano, o LerMack ocorre, propositadamente, próximo ao Dia Nacional do Livro Infantil, celebrado em 18 de abril, homenageando o precursor da literatura infantil no Brasil, Monteiro Lobato. Porém, devido ao contexto de crise sanitária, a exposição está sendo realizada seguindo rigorosamente os protocolos de segurança instituídos para o enfrentamento da pandemia do coronavírus. Os estudantes poderão visitar os espaços decorados, mas para evitar aglomerações, as famílias serão guiadas em um tour virtual, gravado em um vídeo especial.