Cultura

Música na Infância: por que é tão importante?

Conhecimentos musicais trazem diversas vantagens para sociabilidade e cognição das crianças

01.10.202012h00 Comunicação - Marketing Mackenzie

Compartilhe nas Redes Sociais

A música é capaz de nos unir e despertar todos os tipos de sentimentos. Se for aprendida e trabalhada desde cedo, ela pode aprimorar diversas capacidades sensoriais e cognitivas, é o que garante os especialistas ouvidos neste dia 1º de outubro, data em que é comemorado o Dia Internacional da Música. Em diversos aspectos, crianças e adolescentes só têm a ganhar ouvindo e aprendendo canções de qualidade.

Desde cedo, ainda na primeira infância, é possível despertar nos pequenos o interesse musical. Seja por meio de brincadeiras que envolvam a criação musical ou apenas pelo canto e dança, as crianças podem ter um melhor desenvolvimento. “A música é uma excelente contribuição para a formação do intelecto no futuro. Fundamental para todas as capacidades sensoriais, desenvolvimento afetivo e de relações interpessoais”, afirma o coordenador do Centro de Arte e Cultura (CAC) da Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM), maestro Parcival Módolo. 

“A aprendizagem da música permite o desenvolvimento de habilidades cognitivas, emocionais, físicas e relacionais, que preparam o aluno para o convívio e a atuação na sociedade de forma crítica, criativa e inovadora”, completa a coordenadora de Artes do Colégio Presbiteriano Mackenzie (CPM) Brasília (DF), professora Janice Gennari.  

Com o passar do tempo, o ensino mais consistente de música, o que incluiria não apenas o aprendizado de um instrumento, mas também da Teoria Musical, pode ajudar ainda mais no desenvolvimento intelectual e comunicativo. “A grande vantagem da música acadêmica é aprender a técnica e a teoria musical, e o cérebro vai se desenvolver de uma forma diferente”, explica o Maestro Módolo.

Ele ainda acrescenta que o aprendizado mais profundo de música ajuda no ensino de outras disciplinas já que, ao aprender sobre um compositor renomado, por exemplo, a curiosidade será despertada para entender outros aspectos relacionados àquela canção, o que levaria a criança ou jovem a ter facilidade com História e Geografia, por exemplo. 

Por outro lado, Módolo ressalta que é importante ser seletivo. “Não é qualquer música que serve. Não basta aprender apenas o instrumento, depende do como e do próprio instrumento”, afirma. 

Projetos Musicais

Diante da importância da música, o CPM, em cada uma de suas unidades, busca diversas maneiras de promover o ensino musical a seus alunos. Em Brasília, por exemplo, os estudantes possuem aulas de música desde a Educação Infantil até o Ensino Médio, cada etapa com uma vivência específica. Além disso, a unidade oferece a possibilidade dos alunos participarem de Corais e Shows de Talentos, em que são incentivados a produção de canções autorais. “Todo esse processo na educação musical converge para o desenvolvimento do senso estético e crítico dos nossos alunos, formando bons apreciadores e incentivando o aprimoramento do talento musical”, diz Janice.

No CPM Palmas (TO), o projeto é parecido: desde cedo, os alunos são iniciados nos estudos básicos de música, o que inclui o ensino extracurricular de flauta doce e violão, além de projetos como o The Voice Kids e a Batalha das Flautas, que incentiva os alunos a mostrarem seus talentos musicais. 

Já o CPM Tamboré (SP) também oferece aulas extracurriculares de diversos instrumentos, além de Corais e de promover o MackSingers, coro formado por adolescentes. “A música também proporciona experiências que desenvolvem a expressividade, a disciplina, a concentração, o controle emocional, a colaboração, além de melhorar o convívio social e estimular vínculos de amizade entre os alunos”, explica a diretora da unidade, Vera Mendes.