2019 - Alice Borges Llorente - Administração

2017 - Marisa Ortenblad Pires Galvão - Biologia

Até o presente momento, eu não tive nenhum problema com o meu intercâmbio. Cádiz é uma cidade incrível para ir de intercâmbio: as pessoas são muito simpáticas e estão acostumadas com turistas e estrangeiros, o transporte público é muito fácil de usar e as praias são lindas. Na parte antiga da cidade (centro), tudo é muito perto e mesmo no inverno ainda faz sol. Além disso, também é muito fácil ir visitar e passar o dia nas cidade próximas de Cádiz.

Em Cádiz há dois grupos no facebook: o Erasmus Family Cádiz e o ESN Cádiz (Erasmus Student Network), o último deles foi recomendado pela universidade no documento que eu recebi por email logo após ser aceita na universidade; que organizam vários eventos durante a semana e diferentes viagens para ir nos fins de semana, então logo no meu segundo dia aqui, eu já conheci estudantes do mundo inteiro, inclusive uma brasileira de Minas Gerais. Além disso, nesses grupos você pode tirar qualquer dúvida que você tenha, falar de qualquer problema que você está tendo e de como solucioná-lo, encontrar gente para fazer algo de interesse comum, etc.

Antes de vir para Cádiz, eu já tinha arranjado um apartamento pelo site easypiso.com que fica na parte nova de Cádiz. O apartamento é ótimo e eu divido com uma estudante da Alemanha e uma da Espanha, da região da Andaluzia. O casal, dono do apartamento, no dia em que eu cheguei foram me buscar no aeroporto e depois acertamos que uma vez por mês eles passavam no apartamento para recolher o dinheiro do aluguel. Na frente do prédio há uma parada do ônibus que percorre a cidade de Cádiz, e a duas quadras há uma parada dos ônibus que vão para as cidades vizinhas, inclusive dos que vão para o campus de Puerto Real, que é onde eu estudo.

Na minha primeira semana aqui, eu visitei alguns pontos turísticos da cidade e fui na sessão de boas vindas da Oficina de Relações Internacionais da Universidade, na qual há uma apresentação dos serviços disponibilizados pela UCA e recebemos também uma pasta com a carteirinha de estudante, a matricula a ser realizada e com informações do campus e do coordenador do nosso curso.

A coordenadora do meu curso entrou em contato comigo por email logo depois que o contrato de estudos foi assinado, e marcamos uma reunião para que ela pudesse assinar a minha matricula com as matérias que eu tinha escolhido, e a Oficina de Relações Internacionais me mandou um e-mail com o documento com a isenção da mensalidade, então eu não tive nenhuma dificuldade para realizar a matricula.

No momento eu estou fazendo três matérias, uma do terceiro ano e duas do quarto semestre. Cada matéria tem dois ou três professores, que dividem os temas a serem trabalhados. Na maioria das aulas eu entendo facilmente o que os professores estão dizendo, mas quando se trata dos alunos é um pouco mais difícil por conta do sotaque e porque eles falam muito rápido. As aulas são bem interessantes, e os professores são bem compreensíveis com os alunos de intercâmbio.

Morar sozinha foi uma experiência completamente nova e assustadora para mim no começo, mas também muito enriquecedora e de autoconhecimento, e você percebe que praticamente tudo que você faz ou deixa de fazer é de sua responsabilidade.

Em relação às viagens, eu já visitei Malága, Valência, Sevilla, Córdoba, Granada e Madrid na Espanha,  Algarve em Portugal, e Asilah, Chefchouen e Tatuen, no Marrocos. 

E de atividades fora da universidade, eu estou fazendo aulas de salsa gratuitas, organizadas pelo ESN, que além de ser muito divertido, foi ótimo para eu conhecer outros estudantes de intercâmbio também; e me inscrevi em uma academia porque eu não gostaria de ficar seis meses sem fazer um esporte.