Projeto 1- Inclusão Social, Políticas Públicas e Governança para reduzir as desigualdades

O projeto tem por objetivo consolidar por intermédio das ações de internacionalização um padrão de organização e processos de negócios sociais inclusivos --com ênfase no padrão de governança-- para a implantação de políticas públicas que gerem impacto econômico e social nas comunidades em que atuam, visando à melhoria social, a preservação do patrimônio histórico e cultural e a recuperação de áreas vulneráveis. As desigualdades que caracterizam a realidade contemporânea compreendem do acesso ao consumo à participação ativa na economia, à saúde, à educação, à segurança, à moradia, à assistência social, temas que desafiam a capacidade de resposta das instituições, incluindo a Universidade e o Estado, na efetivação dos direitos à cidade e à uma vida digna. A importância da internacionalização nesse projeto decorre não somente da necessidade de reconhecimento das diversas experiências na elaboração e na execução de políticas públicas, mas principalmente pelo intercâmbio entre pesquisadores e gestores públicos nacionais e estrangeiros, que atuam na construção de modelagens organizacionais e institucionais voltadas à redução das desigualdades.

Projeto 2- Mobilidade humana e culturas no plural: o desafio da convivência

O projeto trata de questões sobre as quais os programas envolvidos já se debruçaram com afinco, adquiriram competência e experiência comprovadas em pesquisas, produção e formação de recursos humanos e estabeleceram parcerias internacionais. São questões relativas a: imigrantes, refugiados, expatriados; representações ficcionais e artísticas dos espaços sociopolíticos e culturais; redes de aprendizagem, ensino de línguas e interculturalidade; linguagens não verbais; intolerância na internet, na literatura e nas artes; uso da língua em situação de deslocamento, contato e acolhimento; artes como forma de integração e de redução das intolerâncias; pluralidade cultural, implicações para a gestão e atitudes perante o diverso e o estrangeiro; aprendizagem transformadora e enfrentamento de conflitos em diferentes culturas; requalificação e recuperação de espaços públicos e de ambientes degradados para convivência e respeito às diferenças; intervenções urbanísticas sustentáveis que promovam qualidade de vida; valorização e preservação do patrimônio cultural.

Projeto 3- Cidade, Projeto e Equidade: das Linguagens e Apropriações às formas de Regulação

O projeto focará a representação linguística, artística e cultural, arquitetônica e urbanística entendidas como projeto, de um lado, e, as formas de regulação mediadas pela norma, de outro. Com todas as ambiguidades e múltiplas interpretações trazidas pelos meios de expressão e de comunicação, ou até por causa delas, entende-se que a complementaridade entre esses meios é fundamental para representar ideias, conceitos e sua materialidade. Não há como não considerar, nesse contexto, a importância da posse plena dos modos de representação linguística dos enunciados. O Projeto de Arquitetura e Urbanismo e as artes reúnem, como linguagem e representação, características e atributos do signo não verbal, na forma de desenhos e sinais, estabelecendo a mediação de necessidades e questões sociais. Serão alvos do projeto a produção socioespacial da cidade formal e informal pelos diversos atores, a degradação do patrimônio histórico, urbano e ambiental, e possibilidades emanadas pelos marcos regulatórios e linguagens.