Cultura

Você conhece o curso de Gastronomia do Mackenzie?

Campus Higienópolis apresenta diferencial no estudo do mercado gastronômico

13.05.201910h00 Comunicação - Marketing Mackenzie

Compartilhe nas Redes Sociais

Em comemoração ao Dia do Chefe de Cozinha, celebrado em 13 de maio, conversamos com professores do curso de Gastronomia da Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM), campus Higienópolis, para falar um pouco sobre empreendedorismo na área, relação de estudo e mercado, além de trazer diferenciais do curso, como o estudo da Cozinha Paulistana na grade curricular.

“Esse é um componente exclusivo do Curso de Gastronomia da UPM”, destaca a professora Camila Landi, também coordenadora do curso na Universidade. “Ao estudar o mercado gastronômico atual, notamos a necessidade, além de uma grande oportunidade, de desenvolver pesquisas e ampliar o conhecimento da Cozinha Paulistana, visto que nosso curso está localizado na cidade de São Paulo, a qual possui fama e reconhecimento por sua oferta e qualidade gastronômica, mas que tem sua história e cultura pouco conhecida e estudada nesta área”, afirma ela.

A importância deste conteúdo gira em torno do conhecimento que constitui a identidade da própria cidade. Para falar sobre uma cozinha regional, é preciso abordar as origens, formação histórica, geográfica e cultural da região, uma vez que “a cozinha expressa a linguagem, a história de toda uma população, com seus traços mais íntimos de construção”, defende Camila.

Para aproximar o aluno ainda mais do mercado de trabalho, os professores do curso da UPM também atuam fora do ambiente acadêmico. Isso possibilita o acesso a problemas práticos encontrados com aplicação da teoria no dia a dia profissional, unindo experiências vivenciadas em sala de aula com o mercado atual.

Para o professor Mauricio Lopes, o contato entre um aluno - que presta atenção aos lugares que frequenta, que conhece a programação da TV sobre o assunto, que sonha cozinhar como os grandes profissionais - com um professor que vive essa realidade do mercado, é fundamental para o desenvolvimento de um olhar mais preparado e confiante do estudante no ramo.

“Atualmente, abrir um negócio neste ramo, seja uma lanchonete, um restaurante simples ou complexo, uma loja de produtos específicos ou mesmo um buffet ou empresa especializada em deliveries, é um desafio grande para quem já tem formação na área da Gastronomia e tenha experiência em administração, serviço e cozinha. Para quem não tem nenhuma formação na área e nem experiência, é uma grande aventura com real possibilidade de insucesso”, completa o professor Rodrigo Libbos.

De acordo com ele, para se obter sucesso, o empreendedor deve entender de Administração - finanças, recursos humanos e marketing -; História, Geografia e Cultura; dominar técnicas de cozinha, padaria e confeitaria; compreender como são produzidas as principais bebidas mundiais, harmonizá-las e desenvolver produtos através de mixologia; e realizar um serviço “de primeira” ao cliente.

Para quem quer começar o seu próprio negócio, é importante que se prepare para o médio e longo prazo, além de buscar experiência na área e se dedicar às aulas, absorvendo todo o conhecimento necessário e aplicá-lo quando possível.

“A Gastronomia é uma área que necessita cada vez mais de pesquisa e desenvolvimento dentro da academia. Em nosso curso, conseguimos trabalhar essa proposta em todos os componentes curriculares devido às possibilidades que temos internamente de pesquisa, ensino e extensão”, finaliza Camila.