Esporte

Valores do esporte universitário

Experiências mackenzistas e ações nas comemorações internacionais

24.09.201815h06 Comunicação - Marketing Mackenzie

Compartilhe nas Redes Sociais

Durante as comemorações do Dia Internacional do Esporte Universitário, em 20 de setembro, a Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM) recebeu diversas ações, palestras e jogos em seu campus Higienópolis para promover e incentivar o esporte universitário no Brasil e no mundo. Saiba mais aqui.

Instituído em 2016 pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), o Dia Internacional do Esporte Universitário visa, como ressaltou Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO na ocasião, colocar o esporte no centro do diálogo entre professores e estudantes, ressaltando valores entre jovens adultos e, por meio deles, para a sociedade como um todo.

O foco para a criação da celebração é ampliar e promover o diálogo, a autoestima, o respeito pelos outros, o jogo limpo (fair play) e a busca pela excelência. Para falar um pouco mais sobre os princípios do esporte, sua importância e saber as ações ocorridas no Mackenzie no dia 20 de setembro, conversamos com Jorge Alexandre Onoda Pessanha e Susana Mesquita Barbosa, da Pró-Reitoria de Extensão e Educação Continuada (PREC), área da UPM que promove e incentiva o esporte entre os mackenzistas.

Acompanhe a seguir esse papo:

Professor, qual é a relevância da promoção do esporte para os estudantes de uma maneira geral?

Jorge A. O. Pessanha: Eu pratico esporte desde criança, então realmente faz parte da minha vida. Olhar para a vida acadêmica sem o esporte é meio difícil (risos). Eu sempre dou como exemplo para os meus alunos, não só aqui no Mackenzie mas também lá no dojô de jiu-jitsu, que eu fiz exame de faixa preta no jiu-jitsu ao mesmo tempo em que estava terminando meu mestrado. Além disso, já estava com viagem marcada para começar o doutorado fora do país, então foi uma época bem corrida.

No entanto, uma coisa muito interessante foi que uma atividade colaborou muito com a outra, eles se complementaram de alguma forma. Consegui aliviar muito do estresse da dinâmica acadêmica no tatame e, no jiu-jitsu, aquela ansiedade para mudança de faixa, que é um exame tremendamente difícil, foi aliviada por conta da atividade acadêmica.

O resumo é que o esporte e a vida acadêmica acabam se complementando porque a atividade física faz um bem muito grande para o físico e para a mente, ao mesmo tempo em que traz conceitos que auxiliam outras áreas. Querendo ou não, a disciplina necessária ao esporte é extremamente importante na vida acadêmica.

E qual é a importância de incentivar o esporte universitário para quem está começando na vida acadêmica?

Jorge A. O. Pessanha: Em primeiro lugar, há os valores e princípios que se complementam, porque nossa vida é uma só e temos de aprender a absorver e colocar as coisas boas de uma atividade em outra. Isso é fundamental.

Para nós, o Mackenzie tem uma tradição muito grande no esporte. E para quem chega é o seguinte: você entrou na Universidade, realmente é uma nova fase muito importante da sua vida e ela precisa conversar com outras partes de sua vida que seguem caminhando concomitantemente. Continue praticando esporte, obviamente com moderação, e de modo a acomodar as duas atividades, de modo que uma não prejudique a outra, mas ajude a outra. Essa é a importância. Esse é o caminho.

Professora Susana, qual é a relevância dada ao esporte pelo Mackenzie e o que significa participar das comemorações do Dia Internacional do esporte Universitário?

Susana Barbosa: Nossos alunos têm uma história muito grande com o esporte. Faz parte do reconhecimento deles, inclusive enquanto mackenzistas, essa dimensão de serem atletas, de estarem aqui e se sentirem parte do Mackenzie por meio do esporte, além da parte acadêmica.

Como resultado, eles valorizam o apoio e suporte de nossa Universidade, sobretudo na sua vida profissional, ressaltando o quanto foi importante a atividade esportiva em sua formação. A expressão mais clara disso é a participação de antigos alunos em nossas ações e aqueles que são vinculados ao esporte ainda hoje, mantêm um bom diálogo e nos ajudam, mostrando caminhos e como é que a gente pode alterar e pensar a questão do esporte.

Como a UPM apoia e incentiva o esporte?

Susana Barbosa: São de diversas maneiras. Hoje, contamos com o maior programa de apoio esportivo entre as universidades, oferecendo 590 bolsas de mérito esportivo, nas quais valorizamos exatamente essa percepção do esporte e dos alunos, o que tem um impacto muito grande. Além disso, refletimos isso em nossos processos e projetos internos, como por exemplo a valorização e incentivo a pesquisas vinculadas ao esporte.

Quais ações ocorreram nas comemorações do dia 20 de setembro?

Susana Barbosa: Esse evento contou com nutrição, fisioterapia, psicologia, marketing, e jornalismo, todas para o âmbito esportivo. Tivemos também o esporte paralímpico, com palestra de Daniel Dias, atleta patrocinado pelo Instituto Presbiteriano Mackenzie (IPM), tudo acontecendo ao mesmo tempo. Todas atividades conectadas.

Tivemos competições como: a etapa Mackenzie do campeonato de FIFA, no e-sports; os Jogos Universitários Brasileiros (JUBs) Acadêmicos, com apresentação de trabalhos científicos dos alunos; um atendimento especial dos cursos de fisioterapia, nutrição e farmácia, fazendo orientação de atletas e gente envolvida com esporte durante o dia, conforme citei; além de jogos amistoso de várias categorias ao longo dos períodos.

É nossa maneira de dizer que valorizamos os princípios do esporte e da educação, e que ambos têm muito a colaborar um com o outro. O Mackenzie está atento a esta realidade e muito feliz em ser uma instituição escolhida para participar das celebrações do Dia Internacional do Esporte Universitário.