mesa com livros e giz apoiados sobre ela, atrás há um quadro negro
Atualidades

Uma mensagem especial para o Dia dos Professores

Mackenzie agradece aos seus profissionais e faz homenagem para data que é comemorada nesta quinta-feira

15.10.202012h00 Comunicação - Marketing Mackenzie

Compartilhe nas Redes Sociais

Às vezes as palavras não são suficientes para abranger toda a importância e todos os significados de alguém em nossas vidas. Sem dúvida nenhuma, essa dificuldade existe quando falamos de nossos professores. É tamanha a responsabilidade e a relevância deles em nossa sociedade, que se torna necessário agregar vários termos para se ter uma ideia desse significado: inspiração, mestre, exemplo, orientador, instrutor e vários outros. Nesta quinta-feira, 15 de outubro, é comemorado o Dia do Professor, um dia de reflexão e, sobretudo, de agradecimento.  

A data é celebrada neste dia, pois, em 1827, o então imperador brasileiro, Dom Pedro I, assinou um decreto que instituiu o Ensino Elementar no Brasil. O documento dizia que em cada cidade, vila e povoado deveria haver uma escola de “primeiras letras”. 

"A educação escolar é promotora, dentre outros aspectos, de estímulos às interações sociais, de construção de vínculos afetivos, morais e éticos, é ambiência presencial e/ou virtual que agrupa distintos sistemas humanos, pois articula a pessoa do professor ao aluno na perspectiva do desenvolvimento humano de troca de saberes, de proteção, de acolhida, amenizando dificuldades e criando soluções diante dos desafios", destaca a superintendente de Educação Técnica e Básica do Instituto Presbiteriano Mackenzie (IPM), professora Márcia Braz.

Visão compartilhada com o professor Marco Tullio de Castro Vasconcelos, reitor da Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM). “O papel do professor na sociedade é de grande importância na qualificação das novas gerações. Além das discussões teóricas e práticas, é o professor que, muitas vezes, promove reflexões capazes de mudar a vida dos alunos em muitos contextos”, ressalta ele.

Tempos diferenciados 

Mais do que nunca, em 2020, por conta da pandemia de covid-19 e o distanciamento social imposto como medida de segurança sanitária, voltamos as atenções para os professores. Com escolas, colégios e faculdades sem a circulação de alunos, nosso cotidiano se alterou. Imediatamente, as salas de aula ficaram desocupadas e as salas de videoconferências passaram a ser nosso centro de estudo, dentro de nossas casas. 

Neste cenário, os professores tiveram de se adaptar. Deixar de lado os quadros para utilizarem apresentações virtuais. Deixar de acompanhar presencialmente os alunos para se posicionarem diante das câmeras. Além de lidarem com toda a ansiedade, medo e insegurança que a pandemia impôs a toda a sociedade, os educadores ainda tiveram que passar por um processo de adaptação para o ensino remoto, híbrido, com a utilização mais extensa de recursos on-line.

Para se ter uma ideia, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), atestou que a crise causada pela Covid-19 afetou mais de 90% dos professores e alunos no cenário mundial. As consequências de ordem física, psicológica, emocional, decorrentes do confinamento prolongado, da falta de contato pessoal, o temor da infecção, mas, primordialmente, a insegurança em face ao desconhecido, sinalizou que as práticas profissionais deveriam ser ressignificadas, dentre elas, as relacionadas à docência.

Como destaca a superintendente Márcia, "indubitavelmente, o processo de adaptação dos professores ao novo momento está consubstancialmente ligado a resiliência, isto porque estar resiliente remete à capacidade de responder positivamente a situações adversas. Foi exatamente o que ocorreu com o professor. A docência, no cenário de pandemia mundial, foi uma das profissões que mais demandou tal capacidade, ao mesmo tempo em que o professor precisou desenvolver refinadas habilidades tecnopedagógicas em curtíssimo espaço de tempo".

Além disso, o reitor da UPM aponta para a agilidade em isso ocorreu. “A pandemia acelerou o processo de transformação e requereu de todos muitos esforços para implantar e utilizar eficazmente novas tecnologias num curto espaço de tempo”, ele cita, inclusive a utilização de ferramentas como o Microsoft Teams e o Moodle foram essenciais para que o ensino fosse continuado.

"Será que conseguimos compreender tamanho desprendimento de energia psicológica, cognitiva, emocional dos nossos professores? Modificando-se e transformando-se a ponto de reinventarem-se? Será que conseguiremos aquilatar o desprendimento, a humildade, a espera, o respeito, o desapego, ao fazerem de suas salas, quartos, cozinhas, ambientes de ensino com transmissão remota? Avaliar o momento pelo qual passaram e passam, traduziria com as seguintes palavras: a preocupação pela qualidade das aulas e a responsabilidade com a aprendizagem dos alunos", afirma Márcia sobre o trabalho e empenho dos professores.

Trabalho de excelência

Tanto a UPM quanto os Colégios Presbiterianos Mackenzie (CPM), bem como as Faculdades Presbiterianas Mackenzie (FPM), buscaram formas de auxiliar os educadores neste momento de tantas novidades e que requisitou diversas adequações. De acordo com Vasconcelos, os professores foram sensacionais, com engajamento visível e produtivo. "Eles se organizaram em grupos colaborativos, em uma comunidade propícia à reflexão, experimentação e compartilhamento de experiencias. O resultado deste esforço pode ser visto no aumento dos níveis de satisfação dos alunos. Sou muito grato a todos eles por isso", agradece ele.

O reitor conta que os professores se envolveram em ações que ajudaram também a comunidade e o entorno. "Foi criada uma força-tarefa de enfrentamento à Covid-19, em que foram articulados pelos coordenadores das Unidades Acadêmicas diversos projetos e ações alinhados à temática, resultando na criação de rede de pesquisadores", adiciona.

Certamente, não foi fácil, mas os nossos professores se empenharam como nunca. “Buscar a superação em meio às adversidades, ao estresse, ao luto, recuperando-se, reconstituindo-se positivamente, construindo soluções criativas por novos resultados pessoais e profissionais, merece destaque”, declara Márcia.

Por isso, mais do que nunca, este 15 de outubro merece ser celebrado. Nunca ficou tão evidente a importância de nossos mestres em nossas vidas. Sentimos saudades, mas sabemos que venceremos mais esse desafio. E precisamos agradecer aos professores, que mais uma vez nos ajudaram. Não só a continuar crescendo, mas nos auxiliaram a manter a esperança, a seguir na busca do conhecimento e a superar as adversidades. 

Agradecimento e carinho

Como lembra o reitor, ao longo de seus 150 anos de história, o Mackenzie sempre demonstrou respeito, carinho e admiração pelos professores. Afinal, são eles os responsáveis por mediar o conhecimento. "A eles, o respeito e reconhecimento da Universidade. Deixo o respeito da UPM para com o trabalho de cada um dos professores, sem os quais não poderíamos exercer nossas funções e cumprir nosso propósito como Instituição. Nos orgulhamos do trabalho de todos, especialmente neste momento tão difícil para a humanidade, em que todos colaboram com seu empenho para que tenhamos um futuro melhor", complementa ele.

A professora Márcia também é enfática e traz à tona a saudade da própria experiência para a celebração. "Como professora eternamente saudosa da sala de aula, dos alunos, estou vinculada a vocês, professores Mackenzistas. Principalmente nesta data comemorativa em alusão ao nosso dia. Parabéns! Continuem sendo, professores! Professores Mackenzistas!", finaliza com amor e alegria.

O Mackenzie presta essa pequena homenagem a todos os seus professores, mesmo sabendo que nem todas as palavras podem ser suficientes para agradecer. Abaixo, você pode conferir um vídeo especial que também foi feito para comemorar. Professores, um feliz dia a todos vocês!