Pesquisa e Inovação

Rádio Observatório Pierre Kaufmann está próximo de ser reinaugurado

Expectativa do CRAAM é de reabrir a estação de experimentos em Atibaia no fim de novembro

29.08.201910h30 Comunicação - Marketing Mackenzie

Compartilhe nas Redes Sociais

O Centro de Rádio Astronomia e Astrofísica Mackenzie (CRAAM), da Escola de Engenharia (EE) da Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM) deu sequência aos testes noRádio Observatório Pierre Kaufmann (ROPK) localizado em Atibaia (SP). A expectativa é de que a estação de experimentos seja reaberta ainda em 2019, possivelmente até o dia 30 de novembro, quando seria comemorado aniversário de 81 anos do antigo coordenador do CRAAM, professor Pierre Kaufmann, falecido em 2017.

Na última quinta-feira, 22 de agosto, o rádio observatório entrou em uma nova fase de testes, em que foram observadas fontes reais, como rádio galáxias ou quasares. A professora do Instituto Astronômico e Geofísico (IAG) da USP, Zulema Abraham, antiga integrante do CRAAM, foi convidada para colaborar nesta parte dos experimentos.

Junto à equipe de engenheiros e técnicos da UPM e do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) – que colabora nos experimentos e na manutenção do ROPK –, a professora Zulema comandou a observação de Virgo A, uma rádio galáxia distante, e de 3C273, um quasar na frequência de 22 GHz. Uma rádio galáxia é um corpo celeste que emite alta radiação em ondas de rádio, enquanto um quasar é um objeto extragaláctico extremamente luminoso, intenso emissor de ondas de rádio.  

“O resultado obtido é espetacular, considerando que o radiotelescópio deixou de ser operado por um longo período. Isso mostra que o aparelho, embora com 45 anos de idade, ainda está funcionando muito bem”, disse o coordenador do CRAAM, Jean-Pierre Raulin.

Próximos passos

De acordo com o professor Raulin, são poucos os detalhes para que o ROPK possa voltar a funcionar plenamente. “Haverá alguns pequenos ajustes a serem realizados, como o apontamento da antena e a cartografia da sua superfície, mas nada de muito complicado. Será necessária também a troca do sistema de controle e rastreio da grande antena”, explicou o pesquisador. Estão previstos testes de rastreamento com fontes cósmicas, com o sol, e também um levantamento do ruído eletromagnético e interferências no Rádio Observatório.

Após a reinauguração, além das pesquisas em rádio astronomia, o CRAAM pretende integrar o observatório às atividades acadêmicas da UPM. “Há uma grande demanda por parte de universidades e outros centros nacionais para o uso do ROPK em pesquisas astronômicas, inclusive para incorporar o radiotelescópio em grandes redes mundiais utilizando a técnica VLBI, e viabilizando assim, uma nova vida para o ROPK”, comentou o coordenador, mencionando a Very Long Baseline Interferometry (VLBI, algo como Interferometria de Linha de Base Muito Longa).

Histórico

O Rádio Observatório Pierre Kaufmann, localizado em Atibaia, foi fundado pelo Mackenzie na década de 1970. No começo dos anos 80, o INPE passou a administrar as operações no local, com a parceria da UPM. Porém, a partir de 2014, o local realizou poucas atividades, ficando praticamente parado. Em 2017, o CRAAM voltou a trabalhar pela reabertura do centro de pesquisas, que é um dos maiores do Brasil na área da rádio astronomia.

Em uma primeira fase de testes, foram avaliados diferentes subsistemas da grande antena de 14 metros do ROPK, como movimentação e manutenção das engrenagens, motores, assim como foram testados diferentes receptores utilizados para observações astronômicas.


Registros do quasar 3C273 em 22 GHz