Cultura

Lançamentos da Editora Mackenzie na Bienal do Livro de SP

Autores fizeram sessão de autógrafos durante o evento

09.08.201816h43 Comunicação - Marketing Mackenzie

Compartilhe nas Redes Sociais

"Eu considero o lançamento de livro um momento mágico na vida de um autor. É sempre uma emoção nova e renovada", celebra Eduardo Ferreira, autor de Compendium Direito Tributário, um dos livros da Editora Mackenzie que foram lançados durante a 25ª Bienal do Livro de São Paulo. Os escritores dos mais novos títulos da editora se reuniram no estande da Associação Brasileira das Editoras Universitárias (ABEU) para uma sessão de autógrafos, na quarta-feira, 08 de agosto, às 19h.

Entre as obras, também estava O mundo das geotecnologias: ferramentas de análise e representação territorial, que foi escrito por Carolina Bracco, Eleana Flain e Eliene Coelho. “Esse livro é uma introdução a esse mundo chamado de geotecnologia”, conta Carolina. Ela explica que a disciplina de geotecnologia é recente na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM), mas já é um tema explorado no mercado há um bom tempo. “A partir da receptividade que tivemos dos nossos alunos, e até para instigar um pouco mais o conhecimento do tema, decidimos transformar o nosso material de aula em uma publicação aprofundada”, afirma.

Também foi pensando nos alunos que Fred Utsunomiya e Vanessa Franco elaboraram o Pesquisa de Marketing: Guia Prático. Os professores do Centro de Comunicação e Letras (CCL) perceberam, ao orientar Trabalhos de Conclusão de Curso, que havia uma grande dificuldade dos estudantes lembrarem do conteúdo de pesquisa de marketing. “Eu acredito que vai ajudá-los bastante, especialmente pelo formato de guia, porque os livros de pesquisa são mais densos, complexos, e quando o aluno vê um livro tão grande, se assusta”, explica Vanessa. “Escrevemos tanto para estudantes, como para pequenos empreendedores que não têm formação em marketing”, completa.

Além disso, fazer o lançamento das obras na 25ª Bienal do Livro foi muito significativo, segundo Utsunomiya. “Acredito que o livro ainda é um instrumento de transformação silenciosa, mas efetiva. Livros ensinam gerações, mudam o destino de nações. Infelizmente, nós vivemos uma certa crise de apreço aos livros, mas devemos apostar nas boas causas”, completa.