Atualidades

Futuros designers discutem economia circular

Mackenzie promove debate sobre como o design pode ser mais sustentável 

27.09.201910h46 Comunicação - Marketing Mackenzie

Compartilhe nas Redes Sociais

O curso de Design da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM) promoveu, nesta quarta-feira, 25 de setembro, a palestra Design e as Embalagens na Economia Circular, em que ofereceu uma oportunidade dos alunos aprenderem a olhar para toda a cadeia de produção. O evento foi realizado no campus Higienópolis.

Economia circular é uma forma sustentável de pensar a criação de produtos, já que eles levam em conta que os materiais utilizados serão, de alguma forma reaproveitados. “A ideia é que a gente crie produtos em que evitemos ao máximo qualquer tipo de impacto ambiental e que ele retorne para a cadeia de alguma forma, ou como reuso, ou como um novo produto”, disse o palestrante, Fábio Sant’anna, especialista em mercado da empresa Brasken. 

De acordo com a explicação de Sant’anna, o metódo diferencia-se do atual modo de produção, que pensa apenas na extração, desenvolvimento e descarte. Na economia circular, o descarte não existiria. 

Na palestra, Sant’anna contou alguns exemplos de produtos que foram pensados para serem feitos de materiais que poderiam ser reaproveitados. “Eu identifico oportunidades no mercado para criar embalagens que criam impacto positivo na sociedade”, afirmou o especialista. 

Para a coordenadora do curso de Design da UPM, Nara Martins, o estudante desta área deve ter uma visão completa da produção para que leve em consideração as escolhas dos materiais, e não apenas as suas formas. “A gente não pode pensar em nada que não seja sustentável na área do design. Tem de ter visão global, de que o material tem sua função, mas ele tem que ser reciclável, precisa ser repensado a forma de ser adotado junto ao produto”, declarou. 

Todavia, pensar em uma produção mais sustentável não deve ser exclusividade dos futuros designers. “Para entender essa nova economia, todos os profissionais devem ter um olhar sistêmico para toda a cadeia. Não dá mais para cada um olhar apenas para sua caixinha. Se você não estiver atento para estabelecer contato e entender todos os elos na cadeia, você não estará preparado para a economia circular”, finaliza Sant’anna.