Chancelaria

Dia Internacional da Mulher

Uma homenagem à Mary Ann Chamberlain e todas as mulheres

08.03.201818h53 Comunicação - Marketing Mackenzie

Compartilhe nas Redes Sociais

Uma homenagem à Mary Ann Chamberlain e todas as mulheres

Mary Ann Annesley Chamberlain. Você provavelmente já deve ter ouvido o sobrenome dela, que nomeia o prédio 10 do campus Higienópolis, mas não conhece a história de uma mulher que foi fundamental para a criação do Mackenzie.

“O George Chamberlain recebe o crédito, mas foi a  Mary Ann Annesley Chamberlain que começou dando as aulas em sua casa e incluindo mais crianças.” reitera o  Chanceler, Reverendo Davi Charles Davi Gomes do Mackenzie.

Mas como foi? Tudo começou quando os missionários presbiterianos Mary Ann e o marido, George Chamberlain, se mudaram dos Estados Unidos para o Brasil. Um dia, Mary Ann observava três crianças brincando em frente a sua casa e as convidou para conversar. Imaginou que se continuassem brincando nas ruas todos os dias, sem estudar, iriam continuar analfabetas, como 80% da população brasileira naquele tempo.

Com seu grande talento para contar histórias, Mary Ann conquistou as crianças, que passaram a frequentar sua casa.  Passou a ensiná-los a ler e escrever. Seus amigos também se interessaram pela atividade e começaram se juntar à turma. O número de crianças começou a crescer cada vez mais a ponto de Mary Ann precisar de outro professor.

O sistema de ensino de Mary Ann era inédito na época: classes mistas, abolição de castigos físicos e a não-exigência de lições decoradas. Era o começo do que se tornaria a Escola Americana, o que aconteceu um ano depois, em 1870, quando foi transferida para um local nas ruas Ipiranga e São João.

Café da manhã especial  

Na manhã do dia 8 de março, o Mackenzie organizou um café da manhã no hall do MackGraphe para homenagear todas as mulheres. O presidente José Inácio Ramos aproveitou o momento para falar sobre a data: “Já passou da hora da sociedade reconhecer as mulheres e colocá-las em cargos mais elevados, diretivos e políticos.”, disse.

Universitárias e funcionárias do Mackenzie estiveram presentes para compartilhar ideias e comentar sobre o significado do dia 8 de março “Antes de lembrar sobre o dia da mulher, devemos chamar atenção para as injustiças que as mulheres ainda sofrem em todo o contexto social”, argumentou Yolanda Reis, estudante do curso de Jornalismo.   

Antonella Pizzotti, do Direito, falou sobre a importância dar voz às mulheres.  “Esse dia é importante para reivindicar os nossos direitos. Mas não quer dizer que essa única data represente tudo o que somos. Nós somos muito mais do isso. Mais do que um dia em que o Brasil para e nos entrega flores. Somos importantes e a sociedade tem que reconhecer nossos direitos”, disse a mackenzista.

Durante a realização do evento as mulheres presentes puderam se inscrever para um sorteio de um Ipad. A ganhadora foi Luciara Alves da Silva, funcionária do Mackenzie há 20 anos: “Ganhar o prêmio foi maravilhoso. Quando eu ouvi meu nome, eu saí correndo. Não acreditei. Fui sorteada no meio de tanta gente”, contou Luciara, empolgada com o prêmio.

Quer ler sobre algumas mackenzistas? Clica aí.  

Conheça a capitã da Mack Gear

Marisa Lajolo ganha prêmio da Academia Brasileira de Letras

Alunas do Colégio Brasília são destaque no nado sincronizado

Gabriela Fernandes Mestrine ganha prêmio de arquitetura

Roseli Behaker Garcia e sua trajetória profissional

Professoras mackenzistas participam de Simpósio Internacional

Biodiversidade para Alimentação e Nutrição

Cheerleaders do Mackenzie Tamboré  

Conheça a nossa professora Rosana Schwartz  

Professora do Mackenzie lança livro sobre a química dos bolos

Jady Malavazzi é hexacampeã brasileira de ciclismo paraolímpico

Aluna de Mestrado é premiada na Áustria

Aluna do Mackenzie organiza palestra de Jornalismo de Moda

Professora assume cadeira na Academia Mackenzista de Letras

Zahra Kaeb: a moda é o que você faz dela

ChancelariaInstitutoDestaque