Esporte

Conceitos de física em saltos ornamentais

Alunos do Colégio Mackenzie Brasília aprendem física com saltos do atleta César Castro

30.05.201915h12 Comunicação - Marketing Mackenzie

Compartilhe nas Redes Sociais

Já pensou em misturar saltos ornamentais e física? O ex-atleta olímpico de saltos ornamentais, César Castro, em conjunto com o professor de física, Nelson Braga, do Ensino Médio do Colégio Presbiteriano Mackenzie (CPM) Brasília, vão fazer isso de uma maneira diferente para ensinar conceitos de física aos alunos!

No próximo dia 5 de junho, os professores vão unir suas disciplinas para uma aula especial para a galera do Ensino Médio. A ideia principal é condensar a teoria e a prática, ensinando e discutindo conceitos específicos estudados pelos alunos na física a partir de dados técnicos medidos durante saltos executados por César Castro, que também é treinador de saltos ornamentais no CPM.

A aula será apresentada para estudantes do 1º ano e 3º ano do Ensino Médio, no auditório do colégio. “O conteúdo que iremos abordar é para alunos do 1º ano, porém, em virtude da proximidade do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que cobra com bastante frequência matérias estudadas nesta etapa, os alunos do 3º ano também participarão para que possam fazer uma revisão a respeito do assunto”, explicou Nelson Braga. Entre os tópicos abordados estarão a “Queda Livre” e o “Lançamento Oblíquo”.

César Castro exibirá aos alunos, em vídeos e ao vivo, dois saltos. O primeiro será do trampolim de três metros, o mesmo que o levou a duas finais nos jogos Olímpicos de Atenas, em 2004, e do Rio de Janeiro, em 2016, respectivamente. O segundo será de uma altura maior, do trampolim de 10 metros, altura aproximada de um edifício de três a quatro andares.

Ambos os saltos servirão para a análise técnica, acadêmica e teórica do professor junto ao grupo de alunos, com a ajuda de um software.

“É um aplicativo muito utilizado por treinadores, você faz uma imagem do salto e pode, posteriormente, colocar pontos e gráficos na imagem do atleta para ver a angulação da execução. É possível verificar o ângulo do corpo na hora da saída, durante o salto e no momento final, por exemplo. Tudo isso auxilia o treinador a fazer ajustes com o atleta e servirá para que o professor possa ensinar a prática da parte teórica”, explicou o ex-atleta.

Desafios

Antes de se direcionarem ao tanque de Saltos Ornamentais, os alunos terão um espaço para conversar com César Castro a respeito da sua trajetória como competidor. Castro irá destacar aos estudantes os desafios enfrentados por ele nas quatro Olimpíadas que participou, além de falar sobre as dificuldades experimentadas em outras grandes competições oficiais, dando ênfase aos treinos, à dedicação contínua, às derrotas e também às vitórias.

“Ele vai mostrar a eles o quanto se dedicou. As pressões às quais foi submetido e como superou cada dificuldade e os próprios limites. Enfim, será uma conversa sobre a vida de um atleta, mas também sobre a vida deles, estudantes, que estão pressionados com conteúdos, provas, cobranças, seja na escola ou em outros lugares. O objetivo é motivá-los a ir além, a alcançarem seus objetivos”, disse Braga.

“Vou mostrar que o que um atleta enfrenta não é muito diferente do que um estudante encara para o vestibular. A tensão, a preparação, o equilíbrio das coisas”, acrescentou Castro, que representou o Brasil nas Olimpíadas de Atenas (2004), Pequim (2008), Londres (2012) e Rio de Janeiro (2016), e nos jogos Pan-Americanos de Rio de Janeiro (2007) e de Guadalajara (2011).

O saltador chegou a duas finais olímpicas (Atenas e Rio de Janeiro), possui duas medalhas de prata (Rio de Janeiro) e uma de bronze (Guadalajara) em jogos Pan-Americanos, além de cinco títulos Sul-Americanos e 12 medalhas em etapas do Circuito Mundial.