A Base Nacional Comum Curricular e o novo Ensino Médio: iniciativas Mackenzie

Atualização permite maior protagonismo aos estudantes, além de proporcionar um processo de ensino-aprendizagem de mais qualidade

05.01.202109h11 Comunicação - Marketing Mackenzie

Compartilhe nas Redes Sociais

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é um documento elaborado pelo Ministério da Educação (MEC) que define as habilidades, competências e aprendizagens essenciais que todos os alunos devem desenvolver ao longo da Educação Básica. O documento leva em conta as diferenças socioculturais de cada escola e aluno e determina que todos os estudantes do Brasil tenham o direito à educação garantido.

Desde sua homologação, em 2017, a Base tem sido a referência nacional para a formulação dos currículos dos sistemas e das redes escolares dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, e das propostas pedagógicas das instituições escolares. Além disso, ela integra a política nacional da Educação Básica, de maneira a contribuir para o alinhamento de outras políticas e ações relacionadas à formação de professores, à avaliação, à elaboração de conteúdos educacionais e aos critérios para a oferta de infraestrutura adequada para o pleno desenvolvimento da educação.

No ano de 2018, por sua vez, foi homologada a Base direcionada ao Ensino Médio que, além de contar com a Formação Geral Básica — da qual fazem parte os componentes curriculares já conhecidos, como Língua Portuguesa, Matemática e História — institui os Itinerários Formativos. Segundo o MEC, os itinerários formativos dizem respeito ao "conjunto de disciplinas, projetos, oficinas e núcleos de estudo, ou outras situações de trabalho, que o aluno poderá escolher no Ensino Médio”.  Sendo assim, o estudante terá a oportunidade de construir seu próprio currículo, o que demandará dele uma reflexão a respeito de seus gostos e preferências, levando em conta as expectativas para seu futuro profissional.

Mais protagonismo dos estudantes

Nos Colégios Mackenzie, os itinerários formativos foram elaborados com base em uma sólida pesquisa a respeito dos interesses dos alunos de cada unidade. Assim, as possibilidades de itinerários formativos são amplas e, por meio deles, pode-se aprofundar os conhecimentos das seguintes áreas do conhecimento: Matemáticas e suas Tecnologias, Linguagens e suas Tecnologias, Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Ciências Humanas e Sociais Aplicadas e a Formação Técnica e Profissional (FTP). O envolvimento do estudante na escolha das áreas em que deseja se aprofundar será essencial para que ele se sinta ainda mais envolvido em sua vida acadêmica e perceba-se responsável por suas escolhas, ampliando, assim, seu protagonismo na trajetória pelo Ensino Médio.  

Segundo Lilian Maria Ferraz de Carvalho, coordenadora do Ensino Médio do Colégio Presbiteriano Mackenzie (CPM) Tamboré, a BNCC do Ensino Médio trouxe uma organização curricular mais flexível, aproximando as escolas da realidade dos estudantes, do mundo do trabalho e da vida em sociedade.

“Os Itinerários Formativos, com foco nas áreas do conhecimento e na formação profissional, oferecem diferentes possibilidades de escolha aos estudantes, tornando, assim, o ensino muito mais útil e atrativo”, explica.

Formando estudantes investigativos, reflexivos, éticos e responsáveis

Tomando a área do conhecimento Ciências da Natureza e suas Tecnologias, Lilian explica que o aluno é instigado a ampliar suas habilidades investigativas, desenvolvidas no Ensino Fundamental, apoiando-se em análises quantitativas, na avaliação e na comparação de modelos explicativos.

“Para que assim ele seja capaz de sugerir intervenções pautadas em evidências científicas e em princípios éticos e responsáveis”, pontua.

Além disso, a Base propõe que o estudante amplie suas reflexões sobre as tecnologias e perspectivas futuras de desenvolvimento na área de Ciências da Natureza. Para garantir que o conjunto de aprendizagens sejam bem aplicados no Ensino Médio, primando, assim, pela qualidade do ensino, o CPM Tamboré oferece Laboratórios, oficinas e observatórios, com novos espaços especialmente construídos para essas finalidades.

“Com os Laboratórios de Química, de Física e de Biologia e o Espaço Maker, poderemos propiciar o conjunto de aprendizagens dessa Área, tanto dentro da Formação Geral Básica, parte obrigatória do currículo para todos os alunos, quanto nas Trilhas de Aprofundamento, parte formada pelas opções que o estudante fizer”, explica Lilian. 

A carga horária anual da BNCC para a formação geral básica pode ser de até 1.800 horas, já a carga horária restante deverá ser destinada aos itinerários formativos, espaço de escolha dos estudantes. “O CPM tem uma grade curricular de 3.900 horas, além da nossa infraestrutura nos possibilitar oferecer uma gama vasta de Trilhas e Atividades, contamos com um quadro docente altamente qualificado, de excelência. Tudo isso alinhado à nossa Cosmovisão Cristã, que sempre priorizou o que a BNCC busca hoje, a formação integral do estudante”, finaliza Lilian. 

“O coração do sábio adquire o conhecimento, e o ouvido dos sábios procura o saber.” Provérbios 18:15 (ARA)