Participantes do evento reunidos no Auditório Ruy Barbosa.
Atualidades

7º Encontro do INCT Nanomateriais de Carbono

Auditório Ruy Barbosa recebe pesquisadores de diferentes instituições de todas as partes do Brasil

25.04.201916h03 Comunicação - Marketing Mackenzie

Compartilhe nas Redes Sociais

O Mackenzie sediou, nos dias 23, 24 e 25 de abril, o 7º Encontro do INCT Nanomateriais de Carbono, que reuniu membros do projeto Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Nanomateriais de Carbono (INCT-NanoCarbono) para discussão de avanços científicos e tecnológicos de pesquisadores, professores e estudantes do Centro de Pesquisas Avançadas em Grafeno, Nanomateriais e Nanotecnologias (MackGraphe) da Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM), e de outras instituições envolvidas ao redor do Brasil.

O principal objetivo do encontro é congregar todos os participantes para debaterem resultados conquistados pelos vários grupos de pesquisa que compõem este projeto, além da troca de experiências e de conhecimentos que, quando compartilhados, enriquecem diversos estudos.

“Esse evento é muito importante para debatermos os caminhos que a ciência tem de percorrer em nosso país”, afirma Aristides Pavani Filho, assessor do Ministro de Arte, Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, que vê grandes potenciais em nanotecnologia. Em seu ponto de vista, há capacitação para produzir ótimos resultados para a sociedade a partir dessa tecnologia, principalmente na área que engloba grafeno e nanotubos de carbono. “O cenário que temos é o melhor possível”, comentou.

Para Marcos Pimenta, representante da INCT, “precisamos pegar todo o conhecimento gerado na academia e transferi-lo para o setor industrial, sendo essa ponte um dos desafios de novas frentes que precisamos tomar”. O futuro, em sua opinião, é investir em outros materiais bidimensionais além do grafeno, que têm propriedades fundamentais interessantes e uma série de aplicações tecnológicas.

O evento, por congregar pessoas de diferentes partes do Brasil trabalhando no mesmo tema, também proporcionou o estabelecimento de possíveis novas colaborações. O Ministério, por sua vez, mostrou interesse em juntar os vários parceiros dessa área, dentre eles,  governo, academia, pesquisa e empresas para transformar esse conhecimento e união em produto e inovação.

“Um encontro como esse é importante para o Mackenzie por aproximá-lo de seus pares e colaboradores com outras instituições brasileiras, assim como a oportunidade do nosso amadurecimento”, ressaltou Cristiano de Matos, pesquisador do MackGraphe da UPM.