Escola Base: Um caso que não pode ser esquecido

13.04.201719h39 Professora Doutora Denise Paiero, Jornalismo

Compartilhe nas Redes Sociais

Imagine se, de uma hora para outra, sua vida fosse completamente destruída por um turbilhão de notícias sem fundamento. Foi exatamente o que aconteceu com seis pessoas em 1994, no que ficou conhecido como “caso Escola Base”. O cenário era um colégio de classe média alta, localizado em bairro nobre da cidade de São Paulo. Naquele ano, os donos da escola, o responsável pelo transporte escolar e os pais de um dos alunos foram acusados de abusar sexualmente de crianças de 4 anos de idade, alunas da escola.

A desconfiança partira de alguns pais e teria sido confirmada pelas próprias crianças. Outro fator importante: o delegado responsável pelo caso havia afirmado a jornalistas, antes da conclusão das investigações, que era grande a possibilidade de a história ser verdadeira.

Munidos dessas informações, os principais veículos de comunicação do Brasil passaram a cobrir o assunto com destaque. A maioria já trazia uma espécie de condenação aos envolvidos, antes mesmo de a denúncia ser esclarecida pela polícia e sem que tivessem qualquer prova sobre o que afirmavam. O sensacionalismo na cobertura imperou. O caso se tornou um dos principais assuntos do país naquele momento. Como consequência, a escola foi fechada e depredada. Os denunciados chegaram a ser presos e passaram por um verdadeiro massacre: foram xingados, ameaçados de morte, agredidos. De uma hora para outra viram-se transformados nos grandes inimigos do país. Posteriormente, adoeceram, desenvolveram transtornos psiquiátricos, tiveram seus casamentos destruídos. Alguns ficaram meses se escondendo, com medo de sair de casa. Chegaram à falência financeira.

Mas... com o andamento das investigações, todos os envolvidos foram inocentados. Nenhuma prova de que teriam cometido os abusos foi encontrada e o processo foi arquivado. Era tarde demais. As vidas dessas seis pessoas já estavam completamente destruídas, em grande parte por causa das notícias veiculadas pela mídia.

O caso, em razão da sua gravidade, se tornou emblemático nas discussões sobre ética no jornalismo e um exemplo de como a propagação irresponsável de notícias pode ter consequências muito sérias.

Denise Paiero, professora de Jornalismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie, é Jornalista, Doutora e Mestre e Comunicação e Semiótica.