Ensino Remoto nas escolas: o que é necessário saber?

Sistema de Ensino Híbrido deverá ser utilizado amplamente e o Colégio Presbiteriano Mackenzie se adapta a essa nova realidade

05.08.202010h23 Comunicação - Marketing Mackenzie

Compartilhe nas Redes Sociais

A nova realidade imposta pela pandemia de covid-19 provocou grandes mudanças na sociedade, inclusive, impactou de diversas formas o sistema educacional, no Brasil e no mundo. Em São Paulo, a previsão é de que as escolas voltem com o ensino presencial em setembro. O Colégio está preparado para a retomada das aulas nos aspectos de infraestrutura, profiláticos e pedagógicos. Contudo, não há data definida.

Uma das poucas certezas é que o sistema híbrido que une aulas em ambientes presenciais e virtuais de maneira síncrona e assíncrona, será cada vez mais utilizado. O ele agrega as tecnologias digitais ao currículo escolar e para isso os Colégios Presbiterianos Mackenzie (CPM) vêm se adaptando e buscando os melhores formatos para esta nova realidade.  

“Um dos maiores benefícios do ensino híbrido é a diversidade de suas metodologias e estratégias didático-pedagógicas que potencializam aprendizagens diversificadas, a personalização do ensino e o desenvolvimento de competências requeridas pela cultura digital”, diz a superintendente de Educação Básica do Instituto Presbiteriano Mackenzie (IPM), professora Márcia Braz. Ela ainda acrescenta que o ensino híbrido é a forma mais coerente e o modelo mais adequado para enfrentar os desafios impostos pela pandemia da covid-19.

O CPM pretende utilizar pelo menos três plataformas diferentes para alcançar maior eficácia e amplitude no sistema on-line: Moodle, Microsoft Teams e o Google For Education, cada uma com uma funcionalidade diferente. “Em geral, apresentam características que fomentam a colaboração entre os pares, equipes e professores, contudo, quanto mais simples e intuitiva elas forem, a tendência é que esses usuários façam o uso dela com ênfase na colaboração”, explica Débora Valetta, coordenadora tecnopedagógica do CPM São Paulo

Enquanto o Moodle apresenta ferramentas para gestão dos recursos didáticos, como videoaulas, questionários, provas, livro digital e mapas mentais, o Teams, por permitir videochamadas, possibilita a interação entre os alunos. Já a plataforma do Google incentiva a interação, colaboração, criatividade e o pensamento crítico dos estudantes e professores de forma simples e intuitiva, por meio de extensões e aplicativos. 

Para a adaptação de professores e alunos não será difícil, pois poderá ser uma continuidade do sistema on-line que já é utilizado pelo Colégio neste momento de isolamento social. “Foram momentos difíceis que nos oportunizaram conectar para aprender, criar e inovar em metodologias e estratégias de ensino, a partir das ferramentas tecnológicas e conhecimento de cada professor e colaborador”, destaca a professora Débora.   

Para os pais que foram envolvidos de vez no processo de ensino dos filhos, a melhor dica para manter a produtividade das crianças e adolescentes é o planejamento, com uma rotina equilibrada entre as atividades on-line e off-line. Manter outras atividades, como conversar com amigos, ouvir músicas e pintar, também são ótimas formas de garantir o bom andamento do aprendizado. Porém, ainda assim, o ponto alto é sempre um ambiente de amor e compreensão familiar, com foco no relacionamento saudável. “O afeto é essencial para que o estudante também possa estabelecer uma harmonia emocional e de autoconhecimento junto à família”, finaliza Débora.

A sabedoria fortalece ao sábio, mais do que dez poderosos que haja na cidade”. Eclesiastes 7:19.