martelo de juiz ao da balança da justiça sobre uma mesa demadeira
Atualidades

Direito do Mackenzie recebe Selo OAB Recomenda

Principal critério de qualidade para ensino jurídico no país reconheceu cursos em São Paulo e Campinas

31.01.201910h22 Comunicação - Marketing Mackenzie

Compartilhe nas Redes Sociais

Os dois cursos de Direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM) nos campi Higienópolis e Campinas receberam o Selo de Qualidade OAB Recomenda, oferecida pela Ordem dos Advogados do Brasil. A 6ª edição do reconhecimento ocorreu durante solenidade realizada na tarde de 30 de janeiro, na sede do Conselho Federal da OAB, em Brasília (DF). Benedito Guimarães Aguiar Neto, reitor da UPM, e Felipe Chiarello, diretor da Faculdade de Direito (FDir) da Universidade, participaram da cerimônia de entrega.

Atualmente, existem cerca de 1.500 cursos de Direito no Brasil, dos quais 1.093 foram pré-selecionados como aptos a participar do processo avaliativo que se baseia na nota do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE) e nível de aproveitamento no Exame de Ordem da OAB. Do total de graduações avaliadas, apenas 161 foram consideradas de qualidade e recomendados pela OAB, estando os cursos de Direito do Mackenzie entre eles. Este é principal critério de qualidade para cursos de Direito no país.

A última avaliação feita, e na qual o Mackenzie também havia sido reconhecido, ocorreu em 2016, sendo a certificação válida por três anos.

Sobre o Selo

O Selo OAB Recomenda avalia a qualidade do ensino jurídico no país e divulga as instituições recomendadas que se destacam na formação de profissionais de Direito. De acordo com a própria entidade, o Selo de Qualidade da OAB é concedido como orientação para a sociedade, buscando a elevação do padrão do ensino jurídico brasileiro em prol da defesa do Estado Democrático de Direito, pois atua também como incentivo de melhoria para outras instituições.

A recomendação aponta e incentiva “melhorias nos projetos pedagógicos e na estrutura dos cursos jurídicos existentes, a fim de proporcionar a formação de profissionais comprometidos com uma efetiva atuação jurídica na promoção e defesa dos direitos e garantias constitucionais”, aponta documento da Ordem.