Responsabilidade Social

Dia internacional de pessoas com deficiência

Mackenzie Inclusão realiza evento em comemoração 

03.12.201917h55 Comunicação - Marketing Mackenzie

Compartilhe nas Redes Sociais

Você sabia que hoje, dia 03 de dezembro, é o Dia Internacional de Pessoas com Deficiência? A Organização das Nações Unidas (ONU) instituiu a data comemorativa em 1992, com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância de garantir uma melhor qualidade de vida a todos os deficientes no mundo. E, para comemorar e aproveitar a reflexão, o Programa Mackenzie de Inclusão (PMI) do Instituto Presbiteriano Mackenzie (IPM) realizou um evento especial para os funcionários do Mackenzie, no campus Higienópolis. 

A responsável pelo PMI, Cristiane Lico Pieroni, explica que o programa visa “contemplar a inclusão como ela deve ser, oferecendo recursos de acessibilidade para que as pessoas com deficiência possam, realmente, exercer as atividades para as quais elas foram contratadas”, afirma. 

“Hoje é um dia de comemoração e é a primeira vez que realizamos um evento voltado para os colaboradores com deficiência, com o objetivo de valorizá-los e para que eles realmente se sintam, cada vez mais, parte integrante do Mackenzie”, comenta ela. 

Representatividade

Daniela Oliveira trabalha desde agosto na Gerência de Auditoria do Mackenzie. Foi na feira da Contrata SP, realizada no campus de São Paulo, que ela começou os processos de seleção para trabalhar na Instituição. “Estou feliz, porque é muito difícil encontrar uma empresa que tem essa inclusão, focada no deficiente, de modo geral. A adaptação foi fácil, a área é muito receptiva, aceita, acolhe e tenta ajudar ao máximo”, conta animada. 

Formada em Administração, Daniela diz que uma das dificuldades enfrentadas em um novo ambiente de trabalho é quando precisa solicitar algum tipo de informação. “É um pouco difícil, mas logo de cara falo que sou deficiente auditiva e faço leitura labial. Caso eu não entenda, pergunto e a pessoa também”, explica ela.

“Aqui temos muita representatividade. Além disso, temos não só deficientes, mas também pessoas que não têm deficiência que querem fazer o curso de libras (Linguagem Brasileira de Sinais), por exemplo. Uma colega de trabalho faz as aulas junto comigo e ela diz que a comunicação é muito importante. É uma experiência maravilhosa”, pontua Daniela.

Para ela, a realização do evento é muito importante. “Existe uma troca entre os seres humanos, com deficiências ou não. São experiências, palavras, um consolo ou até atitudes”, finaliza a colaboradora. 

Marcos Mendes trabalha na Instituição há 1 ano e 4 meses. No começo, estava no setor da Central de Informações. Agora, faz parte do Mackenzie Soluções. Logo no início, ele teve de se adaptar aos acessos ao campus. “As pessoas da Segurança são pessoas muito bem preparadas e que atendiam todas as minhas necessidades. Por ser cadeirante, aprendi a lidar com algumas situações. Quando cheguei aqui, as pessoas não estavam acostumadas a ver um cadeirante passando pelo campus. Eram poucas pessoas com a mesma deficiência que a minha circulando”, conta ele. 

Após um tempo, segundo ele, isso mudou. “Alunos e profissionais cadeirantes e com outras deficiências estão começando a ter uma real inclusão. Eu fico feliz em ver reuniões e eventos como esse comemorando o dia internacional da pessoa com deficiência, porque é importante trazer diversidade e informação”. 

Camila Porfirio trabalha no Mackenzie há três anos. “Quando entrei, ainda não existia o programa de inclusão”, relembra. “É muito importante existir o PMI, porque traz representatividade. E com ele, aumentou o número de pessoas com deficiência no ambiente de trabalho, então nós nos sentimos acolhidos e incluídos”. 

Mesmo que não tenha de ter passado por uma adaptação de espaço físico, Camila conta que o olhar das pessoas é algo a ser enfrentado. “Minha deficiência é física, tenho baixa visão no olho esquerdo, devido a um estrabismo genético, então todos reparam. Agora, com um programa que explique as deficiências, ajuda muito e hoje em dia não sentimos mais um olhar de estranheza; nos sentimos bem”.

Trabalhando no setor de Recrutamento de Seleção, Camila se sentiu ainda mais representada. “Eu ajudo a fazer a contratação de pessoas com deficiência, então me sinto muito feliz toda vez que a gente contrata alguém e vê o brilho nos olhos de fazer parte do Mackenzie, que é uma instituição que eu só tenho a agradecer”. 

O evento 

O momento devocional do evento foi realizado pelo reverendo Jorge Corrêa, capelão institucional, e a abertura do evento por José Francisco Hintze Júnior, diretor de Desenvolvimento Humano e Infraestrutura (DESIN). Os convidados Fatima Silva, do projeto coexistir; Thays Toyofuku, gerente de Diversidade e Inclusão da JLL; e Fábio Bonvenuto, professor de inclusão musical falaram sobre Direitos e Obrigações da Pessoa com Deficiência e a banda Música do Silêncio, regida por Fábio, encerrou o dia.