Compartilhe nas Redes Sociais

Atividades Acadêmicas

Um curso de graduação não é um mero caminho burocrático para a obtenção de um diploma que possibilite o exercício legal de uma determinada profissão. Pensando-se nisso, verifica-se que a realização de um trabalho científico apresentado no final desse curso é a consolidação do conhecimento adquirido com os conteúdos de seus respectivos componentes curriculares. Na UPM este trabalho é denominado Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) e é devidamente regulamentado. No CEFT o TCC é componente obrigatório nas matrizes curriculares de todos os seus cursos de graduação. E, em cada curso, as atividades inerentes a ele são desenvolvidas em dois semestres progressivos, sob a orientação de um professor, com a finalidade de produzir um trabalho de investigação científica a ser concluído sob a forma de monografia ou artigo.

O Estágio Curricular Supervisionado é componente curricular obrigatório dos Cursos de Licenciatura. Caracteriza-se como uma capacitação em serviço, realizada em unidades escolares dos sistemas de ensino, voltada à aprendizagem da prática docente.. As atividades de estágio são cumpridas, ao longo dos cursos, em escolas de Educação Infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental (Curso de Pedagogia), e no Ensino Médio (Curso de Filosofia). O Núcleo de Estágios Educacionais, vinculado ao Centro de Educação, Filosofia e Teologia – CEFT, responde pela organização, orientação e acompanhamento semestral das atividades de estágio.

As Atividades Complementares, totalizando 293 horas, compreenderão as atividades de caráter científico, cultural e acadêmicas, articuladas com o processo formativo do professor. As Atividades Complementares têm como objetivo ampliar a formação do profissional de modo a desenvolver habilidades e adquirir experiências não contempladas nas disciplinas da Matriz Curricular. Elas constituem atividades acadêmicas, científicas e culturais que deverão ser realizadas ao longo do curso, na universidade ou em outras instituições, com a finalidade de proporcionar contato com o mundo, com os problemas da sociedade, as expressões da cultura e a prática da iniciação na pesquisa.

O Programa Institucional de Iniciação Científica (PIBIC/Mackenzie) destina-se a iniciar o aluno nas atividades de pesquisa, oferecendo aos estudantes a oportunidade de desvendarem como se processa a geração do saber e como o conhecimento científico é adquirido. Esses objetivos são alcançados pela participação do aluno nas atividades práticas e teóricas no ambiente de pesquisa, sob a orientação de um professor-pesquisador. A efetivação e consolidação da pesquisa na Universidade recebe o apoio do Instituto Presbiteriano Mackenzie, que tem disponibilizado as bolsas de Iniciação Científica para os “alunos-pesquisadores”, bem como por meio de convênio com outras agências de fomento, como o Cnpq.

 

EDITAL PIBIC/PIVIC 2019

Lista de Orientadores

O Treinamento Científico e a Iniciação Científica são a porta de entrada para o universo da pesquisa. No Treinamento Científico o aluno tem a oportunidade de acompanhar a rotina de um laboratório e de aprender técnicas empregadas no mesmo, sem um projeto de pesquisa. A Iniciação Científica costuma ser um passo seguinte ao treinamento científico, envolvendo a redação do projeto, a condução das suas várias etapas e, no final, a elaboração de um relatório. Todas essas fases devem ser orientadas por um pesquisador. Esse projeto pode ser submetido ao Programa Institucional de Iniciação Científica do Mackenzie (PIBIC) ou às agências de fomento à pesquisa, como FAPESP e CNPq, para solicitação de bolsa de iniciação científica.