Inclusão em comunidade

A primeira turma de alunos do Mackenzie, em 1870, era formada por apenas três crianças. Nesse pequeno universo já havia integração e representatividade: uma sala mista, com meninos e meninas, alunos brancos e negros. Esta vocação se expressa não apenas em nossa história, mas na identidade filantrópica da instituição.

Além de oferecer bolsas de estudo para alunos de baixa renda, o Mackenzie têm trabalhado para a inclusão de pessoas com deficiência em seu corpo de funcionários e também entre os estudantes. 

As ações desenvolvidas para inclusão e bem estar comunitário do Mackenzie são norteadas pelas diretrizes sociais que constam na Política de Sustentabilidade:

  • Garantir acesso à educação e ao atendimento médico para a população de baixa renda nas comunidades em que atua, por meio de ações filantrópicas e beneficentes; 
  • Oferecer um ambiente seguro e adequado para a inclusão de colaboradores e alunos com deficiência; 
  • Fortalecer o ambiente e as práticas internas na promoção de saúde, bem-estar e companheirismo entre colaboradores, alunos e pacientes. 

Ações desenvolvidas

As bolsas de estudo estão divididas entre gratuidades legais, que compreendem as bolsas oferecidas no âmbito da Lei 187/21, e as bolsas oferecidas mediante adesão ao Programa Universidade para Todos (ProUni), Lei 11.096/05. O IPM concede, também, bolsas próprias, compostas por benefícios, deliberações e descontos financeiros, que se caracterizam por renúncia financeira para cumprimento de convenção trabalhista e em linha com a estratégia de negócio do IPM e suas mantidas.

Em 2021, os investimentos em bolsas de estudo e descontos  somaram R$ 297,6 milhões, dos quais R$ 137,7 milhões compõem a filantropia.

Em virtude da crise no mercado de trabalho gerada pela pandemia da Covid-19  e a perda de renda, o IPM renovou os percentuais de bolsas, garantindo assim condições para que famílias atingidas economicamente pudessem manter seus filhos na Instituição.

O Programa Mackenzie de Inclusão (PMI), iniciado em 2018, busca contribuir com um novo olhar para a inclusão e garantir que o quadro de colaboradores do Mackenzie reflita as diferenças sociais. Mais do que cumprir a Lei de Cotas, entretanto, o Mackenzie deseja dar oportunidade de trabalho para pessoas especiais, que têm muito a contribuir e ensinar. 
 

Em 2021, houve atendimento de 69% da cota na categoria PcD, com destaque para a atuação no estado de São Paulo onde a somatória das unidades superou a cota regional. No caso dos aprendizes, as contratações/reposições não aconteceram na velocidade adqurida anteriormente, em função da pandemia.

Ao longo do ano foram promovidas várias ações, entre as quais mereceram destaque:

  • Formação de professores, com ações de orientação e conscientização sobre recursos de acessibilidade.
  • Encontros de conscientização entre equipes, totalizando 68 reuniões.
  • Elaboração de plano para apoio ao processo de inclusão no HUEM.
  • Realização da Semana de Acessibilidade e Inclusão.
  • Premiação aos Gestores Parceiros da Inclusão, que mais contratam pessoas com deficiência.
  • Apoio aos aprendizes que tiveram seus contratos encerrados durante a pandemia, visando recolocá-los no mercado de trabalho.
  • Acompanhamento aos aprendizes com avaliação abaixo do esperado.

Áreas de atuação para sustentabilidade