Imprimir a página Procura no Site Mapa do Site
Atividades
Contato
Pastorais
"Felizes os Famintos e Sedentos de Justiça"
"Felizes os Humildes"
"Felizes os limpos de coração"
"Felizes os Mansos"
"Felizes os Misericordiosos"
"Felizes os Pacificadores"
"Felizes os perseguidos por causa da justiça"
"Felizes os que choram"
O Sal da Terra
"Vós sois a luz do mundo"
Poesias
Eventos
Esportes
Fotos
Selecione a unidade:
Matrícula:
Senha:
"Felizes os Mansos"



“Bem-aventurados os mansos, porque herdarão a terra” (Mateus 5.5).

 

 

O profeta Isaías descreve na passagem do “Servo Sofredor”, de forma poética e profética, todo o sofrimento que Jesus Cristo: “Ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a boca; como cordeiro foi levado ao matadouro; e, como ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a boca” (Isaías 53.7).
A biografia de Cristo mostra que ninguém foi mais manso do que ele. Ele mesmo declarou: “Aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração” (Mateus 11.29). Jesus não era um fraco, um covarde, um medroso. Ele tinha todo o poder em suas mãos. Com uma palavra ele poderia ordenar e uma multidão da milícia celestial viria para salvá-lo. Contudo optou sempre pela mansidão.
Na tentação ele não usou dos seus poderes em benefício próprio, ainda que tenha sido incitado a isso por Satanás. Tanto no Getsêmani como na cruz ouviu calado todas as afrontas e acusações que fizeram contra ele, inclusive a dos próprios ladrões crucificados com ele. Jesus poderia trucidá-los, mas optou por amá-los, por isso agiu com mansidão.
Segundo os melhores exegetas bíblicos a palavra mansidão não significa covardia, fraqueza ou medo, mas autocontrole, o domínio de si mesmo. Hendriksen afirmou: “Mansidão é submissão ante qualquer provação, a disposição de sofrer dano ao invés de causá-lo. A pessoa mansa deixa tudo nas mãos daquele que ama e que se importa”.
John MacArthur afirmou que mansidão “É o poder sob controle. Mansidão é dominar o espírito. Estar fora de controle é falta de mansidão. A mansidão é o oposto da violência e da vingança”.
É possível que muitos já presenciaram a cena daquela pessoa que uma vez humilhada diz: – “Você vai ver! Quando eu tiver poder vou esmagar você!”. Isto é bem contrário à mansidão, pois a pessoa mansa tem poder, contudo ela não o usa em benefício próprio.
Uma das cenas interessantes no filme do “Homem Aranha” foi a do tio que antes de morrer disse ao seu sobrinho: – “Um grande poder, exige uma grande responsabilidade”. Somente pessoas mansas conseguem ter a responsabilidade suficiente para usar o seu poder de forma sábia e construtiva.
Uma passagem bíblica relevante que ajuda na compreensão do que significa ser manso encontra-se em Gênesis 13. Ela narra o incidente entre os pastores de Ló e de Abraão. Se Abrão não fosse um homem manso ele poderia dizer a Ló: – “Veja bem meu sobrinho: Eu sou o foco da promessa de Deus. Foi a mim que Deus prometeu a terra de Canaã. Logo, vê se dá o fora daqui, antes que eu tenha que usar dos meus poderes”. Abraão não agiu assim. Sua atitude foi: “Disse Abrão a Ló: não haja contenda entre mim e ti e entre os meus pastores e os teus pastores, porque somos parentes chegados. Acaso não está diante de ti toda a terra? Peço-te que te apartes de mim; se fores para a esquerda, irei para a direita; se fores para a direita, irei para a esquerda” (Gênesis 13.8,9). Abraão não exigiu nada, não usou seu poder para conseguir a melhor parte da terra. Movido por pura mansidão, preferiu perder momentaneamente para depois ganhar toda a terra e não parte dela.
Segundo John MacArthur a “mansidão é o poder usado apenas na defesa de Deus”, isto é, a pessoa mansa nunca se defende em benefício próprio, pois a mansidão é a morte do nosso “eu”.
Busque viver em mansidão, usando do poder que lhe foi dado sempre em benefício dos outros e para a glória de Deus. Não tenha uma postura rancorosa, arrogante e vingativa. Nunca fique ruminando afrontas recebidas, mas sempre tenha um coração dócil e um espírito manso, pois este é mais um dos requisitos no caminho da felicidade.

 


 Carlos Henrique